Zenit 122: Manual de Instruções e Especificações

  • Post category:Fotografia

A Zenit 122 é uma máquina fotográfica de filme fabricada na União Soviética e, ao todo, foram feitas 1.8 milhões de unidades durante a sua produção, sendo um modelo muito popular. É uma câmera bem comum aqui no Brasil, especialmente porque o seu preço era baixo quando comparada com as concorrentes japonesas. Ela também possui alguns recursos de câmeras avançadas, e as Zenit eram uma opção especialmente interessante para quem queria entrar na fotografia pra valer e não tinha muito dinheiro.

Ela tem uma irmã quase gêmea que é a 12XP, para a qual escrevi esse manual dedicado. Outra versão é a 12K, cuja diferença para as outras é o uso da baioneta tipo K da Pentax.

Entretanto, as funções que ela possui são mais que suficientes para cobrir praticamente todas as situações que você possa encontrar por aí. Além disso, elas são reconhecidas pela sua robustez, especialmente em climas frios, já que têm sua origem no território russo. Por esses motivos, ela é considerada uma câmera de excelente relação entre custo e benefício, especialmente para quem quer iniciar na fotografia analógica. Essa Zenit 122 da minha coleção foi a segunda câmera de filme que comprei. Paguei 100 reais nela, em excelente estado de conservação.

Cmo instalar a bateria na Zenit 122

A Zenit 122 usa duas baterias LR44 para alimentar o fotômetro. Como essa câmera é quase toda mecânica, ela dispara mesmo sem baterias. Caso a sua câmera apresente algum defeito, não é o fim do mundo, basta usar um fotômetro externo ou a regra Sunny 16.

Para instalar a bateria, abra o compartimento usando uma moeda. Basta girar 90° no sentido anti-horário.

Insira as baterias com o lado positivo voltado para a traseira da câmera. Coloque a tampa e gire-a com a moeda 90° no sentido horário até travar. Pressione o botão de disparo até a metade e olho no visor se algum LED do fotômetro está aceso. Se sim, a sua câmera está funcionando. Se não, tente outras baterias.

Comandos básicos

Em termos de comandos, ela é muito parecida com outras SLRs do mercado, com abertura e foco sendo feitos nos anéis na frente da lente e os demais comandos na parte de cima do corpo. A operação de fotografar é muito simples e bem parecida com praticamente tudo o que tem no mercado.

Os comandos da parte de cima da Zenit 122

A Zenit 122 possui cinco velocidades de obturador (30, 60, 125, 250 e 500) mais o modo B (ou bulb). Apesar de serem poucas, essas velocidades são suficientes para a maioria das fotos. Outras câmeras possuem velocidades menores, mas elas não são muito úteis sem um tripé, porque as fotos ficam tremidas. Geralmente, para câmeras de 35mm, não se usa velocidade menor que a distância focal da lente.

No caso da Zenit com lente Helios de 58mm, esse limite seria de 60, sendo possível abusar um pouco para o 30. Para menos que isso, realmente não teria muito uso velocidades menores. Portanto, acho que foi uma boa decisão da Zenit que economizou um pouco não precisando colocar um mecanismo de baixa velocidade na câmera.

Quando peguei a câmera a primeira vez, achei que o ‘B’ era um ‘8’, daí fiquei pensando que a câmera estava com problema, mas não. B é de bulb.

O que é a velocidade B, ou bulb?

Praticamente toda SLR tem uma função na qual o filme é exposto pelo tempo em que o disparador é pressionado. Isso é muito útil para se fazer exposições muito longas em fotos noturnas, por exemplo. A menor velocidade que a Zenit 122 é capaz é de 1/30 s, ou aproximadamente 33 milissegundos de tempo de exposição, que ainda é bem rápido.

Acontece que, para fotos noturnas, geralmente precisamos de exposições entre 1 e 30 segundos ou mais. Nesses casos, se usa o modo Bulb e um cronômetro manual. Para entender melhor como funciona, pegue a sua câmera, abra a tampa traseira, selecione a velocidade ‘B’, aperte o disparador e o mantenha apertado por alguns segundos. Você vai notar que a cortina se mantém aberta enquanto você pressiona o disparador. Assim que soltar, a cortina se fecha. Entretanto, esse é um recurso que nunca usei em nenhuma das minhas câmeras. Acho que preciso fazer umas fotos noturnas com filme!

Como usar o sistema de foco da Zenit 122

O comando de foco da Zenit 122 é o anel mais externo da lente. As Helios 44m possuem um foco mínimo de 0,5 m, então já dá pra fazer alguns close-ups com ela. Particularmente, são nessas distâncias próximas e com ela toda aberta em f2 que se consegue os melhores fundos desfocados, que são o grande atrativo dessa câmera.

A visualização do foco através do viewfinder é feito através de quatro zonas, sendo três delas contidas no círculo no centro da tela. Esse sistema é bem parecido com o da Sears KS500, da Pentax K1000 e da Yashica FX-D, e é meio que um padrão da época.

No centro do círculo existe um cristal bi-partido que faz com que objetos que não estejam no visor apareçam como se fossem duas imagens distintas, uma na parte superior e outra na parte inferior. Conforme você mexe no anel de foco, vai ver as duas imagens se aproximando ou afastando. Quando elas coincidirem, o objeto está no foco. Essa opção é a mais precisa, mas se a cena tiver pouca luz fica difícil de usar. Para ver em mais detalhes como usar esse tipo de sistema de foco, veja o meu artigo sobre a Sears KS500.

Usando as outras zonas de focalização

Para essas situações de pouca luz, a Zenit 122 conta com as outras zonas de foco no visor. O círculo seguinte ao bi-partido é como uma telinha que amplia bastante o efeito de desfoque. Portanto, se a imagem não estiver perfeitamente nítida nesta região, a imagem está fora de foco. Porém, é preciso treinar um pouco porque é meio fácil avançar o foco achando que a imagem ainda esteja afiada. Entretanto, uma das vantagem desse sistema de múltiplas zonas é que você pode conferir um com o outro até achar que está perfeito.

Sistema de foco com o cristal bi-partido no meio, os dois discos de focalização e a tela. Infelizmente, o pentaprisma da minha tem essa trinca no centro, o que é meio chato mas que não prejudica o funcionamento dela. Esse é um defeito muito comum nesse modelo, porém, se você achar uma câmera com esse defeito, não precisa fugir dela.

O círculo seguinte funciona como o anterior, mas é uma tela ainda mais fina. Deste modo, a diferença entre estar ou não focalizado é mais sutil e, portanto, mais difícil de notar. O restante da tela, além dessas zonas circulares, também funciona do mesmo modo, só que é ainda mais fina. Ou seja, quanto mais próximo do centro da tela estivermos, mais sensível é o sistema de medição de foco.

Pre-visualização de profundidade de campo

Ao pressionar o botão de disparo parcialmente, a Zenit 122 aciona o diafragma da lente, fechando-a de acordo com a abertura selecionada. Desse modo, é possível prever qual vai é a profundidade de foco atual. Isso é muito útil porque dá pra dosar o boukeh antes de clicar.

Portanto, sempre tentamos fazer o foco pelo ponto central e vamos movendo para os demais conforme vá se tornando mais fácil a visualização. Na minha opinião, o visor da Zenit 122 é um dos pontos mais fortes dessa câmera.

Como usar o fotômetro da Zenit 122

A Zenit 122 possui um fotômetro que é bem peculiar e diferente de todas as outras câmeras que possuo na coleção. Ele consiste de três LEDs na lateral direita do viewfinder. O de cima é vermelho e indica sobre-exposição, o do centro é verde e indica exposição adequada e o de baixo é vermelho e indica sub-exposição e é acionado quando se pressiona o botão de disparo até a metade do curso. Treine um pouco o dedo antes de ir pra rua fotografar, porque é meio fácil de fazer disparos acidentais. Outra coisa que sempre faço é deixar para avançar o filme só a hora do clique mesmo, assim não corro esse risco.

Para encontrar a exposição adequada, o procedimento é o mesmo de qualquer câmera. Comece definindo a profundidade de campo que precisa, selecione a abertura e então vá caçando a velocidade que causa a melhor exposição. Entretanto, como a Zenit 122 possui poucas velocidades, é meio fácil estar sempre sub ou super exposto. Nesse caso, selecione a velocidade mais próxima do ponto ideal e varie um a abertura em um f-stop pra mais ou pra menos até encontrar o melhor valor.

Algumas vezes, os LEDs ficam alternando rapidamente entre ideal e sub ou ideal e super-exposto. Isso significa que você está bem próximo do valor ideal e a câmera não conseguiu decidir sozinha. Nesses casos, a diferença entre o o bom e o ótimo é tão pequena que você pode mandar bala que a foto vai ficar boa. Uma das características do filme fotográfico é que, ao contrário do digital, ele agüenta bastante exposição errada.

Escolhendo o ISO certo

À esquerda temos o seletor de ISO que vai de 25 a 400. Uma coisa intrigante é que não dá pra saber ao saber qual é o valor selecionado porque existem seis bolinhas e cinco valores no marcador. É pra eu colocar as bolinhas na marca ou os valores? Se for as bolinhas eu posso ir desde ISO 25 até 800, ou de 12,5 até 400. Isso é um tanto estranho e provavelmente a gente não entende porque deve usar alguma peculiaridade dos costumes russos que nós aqui no ocidente não estamos acostumados. Por isso, a solução que eu encontrei pra isso foi selecionar o ISO pela regra sunny 16.

Como fazer a calibração usando a regra Sunny 16 na Zenit 122

Pra fazer isso, o melhor é estar num dia de sol. A velocidade que você irá usar será a mais próxima possível do ISO do filme. Ou seja, se você usa ISO 100, velocidade 100. Pra um filme ISO 400, use 400. Como esses valores não estão disponíveis na Zenit 122, eu uso os mais próximos. Então pra ISO 100 eu uso 125, ISO 400 uso 500 e assim por diante.

Agora, selecione abertura f16 e mire a câmera em um objeto bem iluminado, como um prédio branco, por exemplo. Pressione o botão de disparo até acionar a fotometria e então gire o seletor de ISO até que o LED central do fotômetro fique aceso, o que garantirá uma exposição adequada. Você pode optar por deixar um pouco mais sub ou sobre-exposto de acordo com o que julgar melhor. Por fim, marque a posição do seletor, assim sempre que usar um filme com esse ISO não precisa recalibrar a câmera.

A bem da verdade, eu uso esse procedimento em todas as minhas câmeras, justamente porque os componentes eletrônicos têm vida útil e costumam perder a calibração da fábrica com o tempo. Fazendo isso, você garante que a exposição será sempre a melhor possível.

Como usar o timer da Zenit 122

Assim como muitas câmeras da época, a Zenit 122 conta com um temporizador mecânico. Portanto, você pode preparar a câmera, disparar, sair correndo até a cena e tirar fotos de você mesmo. Acho que todo mundo já viu a cena antes de inventarem as câmeras frontais dos smartphones. Pois a sua Zenit 122 pode fazer isso.

Para isso, é preciso seguir uma seqüência de passos não muito óbvios. Com a câmera num tripé ou algum suporte firme que não vá se mexer quando você for sair correndo, ajuste todos os parâmetros de foco e exposição, avance o filme e deixe a câmera pronta. Agora, aperte com cuidado o botão de disparo até sentir que acionou o mecanismo de abertura da lente e gire-o no sentido horário para a posição V’. Isso vai travar a câmera nas condições que você determinou.

Agora, gire a rodinha na lateral da câmera para rebobinar a mola do temporizador até o final. A janelinha na frente da câmera vai ficar verde. Aperte o botão logo acima da janelinha para acionar a câmera e saia correndo. Ela vai liberar a mola e tirar a foto. Não se esqueça de voltar o botão de disparo para a posição normal depois que tirar a foto, ou ela vai drenar toda a bateria.

1: ajuste todos os parâmetros, então pressione com cuidado o disparador enquanto o gira em sentido horário para a posição ‘V’.
2: Dê corda até o fim através da rodinha que tem na lateral da câmera
3: depois de dar corda, a janelinha vai ficar verde, daí é só apertar o botão logo acima da janelinha e sair correndo

Flash

Para usar o flash, basta conectá-lo à sapata sobre o visor ou ao plug na frente da câmera. Depois, selecione a velocidade 30, que é sincronizada com o disparo do flash. Para selecionar a abertura adequada, siga a tabela do seu flash.

Como colocar filme na Zenit 122

Colocar o filme na Zenit 122 é muito parecido com qualquer outra SLR antiga, mas tem alguns passos extras que precisam ser tomados caso o contador de quadros não volte sozinho para a posição ‘S’. Entretanto, nas duas Zenit que possuo, o contador tem funcionamento estranho. Então vamos lá.

1-) Antes de começar, verifique se o contador de quadros está em ‘S’. Se não estiver, aperte o botão de disparo e, com ele apertado até o fundo, gire-o no sentido anti-horário até a posição ‘T’. Com isso, a alavanca de avanço vai ficar livre e você pode avançar o contador até ’36’. Aperte o botão de liberação do filme que fica na frente do disparador. Isso deve fazer o contador voltar para ‘S’.

2-) Mantenha o disparador na posição ‘T’, ou coloque lá se você não precisou fazer o passo anterior.

3-) Para abrir a tampa da Zenit 122, puxe a alavanca de rebobinamento para cima.

3-) Enquanto puxa a alavanca de rebobinamento para cima, coloque o rolo de filme no lugar e abaixe a alavanca de rebobinamento

4-) Enfie a ponta do filme no carretel do lado direito. Puxe a alavanca de avanço para esticar o filme e certifique-se de que os dentes do rolo que puxam o filme estejam encaixados nos furinhos. Rebobine um pouco o filme para que ele fique bem esticado no lugar.

5-) Certifique-se de que o filme esteja esticado. Depois, feche a tampa, puxe a alavanca de avanço até o fim várias vezes, até ela travar. Com isso, o contador de quadros já deve ir para a posição 1.

6-) Volte o disparador para a posição normal.

7-) Ajuste o ISO de acordo com a calibração que ensinei a fazer ali em cima e pronto.

Como rebobinar e tirar o filme da Zenit 122

Para isso, basta manter pressionado o botão de liberação, que fica bem na frente do disparador e rebobinar o filme com a alavanca de rebobinamento. Você vai sentir quando o filme soltar do rolete de avanço. Aí é só abrir a tampa e retirar o rolo.

Especificações da Zenit 122

TipoSingle Lens Reflex (SLR)
Filme35mm (135mm)
BaionetaRosca M42
Velocidades do obturador1/30, 1/60/ 1/125/ 1/250, 1/500s
Modo BulbSim
Sapata de flashSim
Plug frontal de flashSim
Pre-visualização de
profundidade de campo
Sim
ISO25, 50, 100, 200, 400
TemporizadorSim, mecânico
Suporte para TripéSim, rosca de 1/4″
Baterias2x LR44
ViewfinderFocalização com prisma bipartido
Dimensões13,5 x 9,5 x 5,0 cm
Peso545g

Lentes Helios

As principais especificações da Zenit 122 podem ser encontradas nesse excelente artigo do blog Mundo Antigo & Companhia. Entretanto, a parte mais desejável das câmeras Zenit são as lentes Helios, que têm suas origens nas alemãs Carl Zeiss Biotar. As Helios 44m são muito famosas pelo seu bokeh, capazes de gerar aquelas bolinhas no fundo desfocado, além de apresentar uma imagem extremamente afiada com aberturas mais fechadas, como f8. Essas lentes são muito procuradas para serem usadas em câmeras modernas por causa dessas características. Por esse motivo, eu mesmo comprei um adaptador para usar na minha K70 e estou preparando um artigo contando a minha experiência.

Exemplo do que uma Zenit 122 com lente Helios 44m-6 é capaz de fazer! Sem sombra de dúvidas, apesar de ser uma câmera bem simples, ela é muito competente.

É possível usar as lentes Helios em câmeras digitais modernas

Possuo duas câmeras Zenit, a 122 desse artigo e uma 12XP que nunca usei. As duas vieram com lentes Helios 44m, sendo que a da 122 é uma 44m-6 e a da 12XP é uma 44m-4. Até onde pude descobrir, a única diferença entre os dois modelos de lentes é a camada anti-reflexo. Abaixo, o que uma Helios 44m-6 é capaz de fazer com uma câmera moderna, nesse caso, a minha Pentax K70. Portanto, comprar uma Zenit é uma excelente ideia não só pela fotografia com filme, mas também pela lente que dá pra usar na DSLR.

Tendo dito isso tudo, vamos ao que interessa!

Helios 44m com Pentax K70. As bolinhas coloridas nada mais eram do que os postes da rua e os carros passando. Um efeito muito legal. As florzinhas eram minúsculas, coisa de 1 cm. Por causa da distância entre o sensor e a lente na Pentax ser maior do que na Zenit, é possível focalizar objetos mais próximos, por isso a imagem ficou bem ampliada. Então fica a sugestão, se achar uma Zenit com lente Helios por um bom preço, pegue sem pensar. Depois compre um adaptador pra sua DSLR e faça a festa.

Aproveite a sua Zenit 122

Agora acho que dá pra tirar o máximo proveito possível da sua Zenit 122. Se você achou esse material útil, não deixe de compartilhar para que a comunidade de fotógrafos amadores possa crescer! Caso você tenha uma câmera dessas e alguma informação que coloquei não esteja correta, agradeço muito se você deixar a sua contribuição nos comentários.

Mais uma foto que fiz com a minha Zenit 122

Se você tem uma galeria com fotos que tirou com a sua Zenit 122 e quiser divulgar aqui, será um prazer! Entre em contato no e-mail!

Também posso escrever sobre as outras câmeras que tenho na coleção, basta deixar a sugestão nos comentários!

Fábio Ardito

Pelo mundo atrás de treta.

Este post tem 4 comentários

  1. 12xp

    tenho uma 12xp, porém ela está com a cortina travada, onde moro, não tenho onde consertar, vc saberia me dizer se há conserto e se conseguiria fazer sozinha? nao achei nada na internet tbm.

    1. depende do que estiver travado. muitas vezes só removendo a capa inferior e limpando bem de levinho com cotonete e fluido de isqueiro e depois lubrificando muito de leve com óleo de relógio ela funciona. Mas é um serviço bem delicado.

  2. Disparador Travado

    Eu nao estou conseguindo girar o disparador para o T, parece que esta travado

Deixe um comentário